Organização Contábil Carlos Muller

Boletim do Empresário
setembro 2014

Gestão Empresarial | Projetos de Longo Prazo

Análise de prazos para a recuperação do capital investido

Para tomar decisões sobre investimentos de longo prazo é necessário adotar critérios para analisar se os ativos pretendidos terão condições de oferecer no futuro o desempenho desejado pelo investidor. A análise é um processo que envolve a seleção de projetos e a quantificação dos recursos a serem empregados.

Obviamente, a análise, para ser eficaz, deve estar fundamentada em projeções corretas, permitindo ao investidor aceitar, rejeitar, comparar e classificar os ativos avaliados. São vários os critérios que podem ser adotados. Vamos adotar o fator tempo utilizando o critério payback. Existem duas formas de analisar um projeto de investimento pelo payback: o simples e o descontado.

Payback em inglês significa pagar de volta. É uma técnica de análise de investimentos bastante utilizada, demonstrada em unidade de tempo. É o período de tempo (em número de meses ou de anos) necessário para pagar de volta ao seu proprietário, o capital que foi investido no início do projeto. Se levarmos em consideração que quanto maior o horizonte temporal, maiores são as incertezas, é natural que os investidores procurem diminuir seus riscos optando por projetos que tenham um retorno de capital dentro de um período de tempo razoável.

Payback simples

Consiste em somar os valores dos benefícios obtidos pela operação do projeto até que totalizem o valor do investimento feito. É quanto tempo um projeto demora a se pagar. Obtém-se essa medida de tempo simplesmente contando quantos períodos o projeto necessita para acumular um retorno igual ao do investimento realizado. O investidor deve comparar o payback simples com a vida economicamente útil do ativo analisado. Quando se comparam investimentos semelhantes, a decisão é optar pelo ativo que oferece menor período de payback.

A grande vantagem desse critério é a sua simplicidade. Para investidores ansiosos pelo retorno do investimento inicial, dá uma ideia de quanto tempo terão que esperar para que isso aconteça. Fornece uma ideia de liquidez e risco de um projeto.

Duas desvantagens comprometem sua eficácia. Ele não considera o valor do dinheiro no tempo. E, não dá qualquer atenção ao fluxo de caixa que vem após o período de payback. Assim, um projeto pode retornar mais rapidamente o investimento inicial, mas não criar muita riqueza depois disso. Outro pode demorar mais tempo para retornar o valor investido, mas trazer muita riqueza em seguida. É o caso típico de projetos de pesquisa e de alta tecnologia. Sua maturação é mais demorada, mas o volume de riquezas costuma ser surpreendente.

Por fim, esse critério não deve, de forma alguma, nortear a decisão de fazer ou não um investimento. Mas pode ser usado para satisfazer a curiosidade do investidor, dando-lhe uma ideia aproximada do tempo de maturação do investimento.

Payback descontado

Visa corrigir uma das desvantagens do payback simples de não considerar o valor do dinheiro no tempo. Isso é conseguido pelo desconto ao valor presente dos fluxos de caixa do projeto analisado. A primeira coisa que se deve fazer é determinar a taxa de remuneração do dinheiro no tempo considerada pelo investidor. Em seguida, devem-se calcular todos os valores presentes. A partir daí, tudo se passa como no critério do período de payback simples, só que o tempo necessário para o pagamento do investimento inicial é calculado com base não em valores dos fluxos, e sim nos seus valores presentes.

O processo decisório do payback descontado é análogo ao do payback simples. A única diferença é que o simples se baseia na soma aritmética dos fluxos de caixa; e, o descontado, na soma dos valores presentes dos fluxos de caixa. Da mesma forma, o investidor deve comparar esse período de payback descontado com a vida economicamente útil do projeto analisado.

A vantagem do payback descontado em relação ao simples é que, pelo menos para a análise de um projeto isolado, ele é consistente do ponto de vista financeiro. Por outro lado, não tem a mesma simplicidade. Uma das desvantagens é não considerar os fluxos de caixa que ocorrem após o prazo do payback. No entanto, é um critério importante quando temos limitações de tempo e prazo para o retorno dos investimentos em nossos projetos.

Conclusão

O payback é sobretudo um critério de avaliação de risco, considerando mais atraente os projetos que permitem a recuperação do capital investido em menor tempo. Logo, quanto menor o Payback de um projeto, menor o risco do investimento. É muito importante nos projetos que tenham tempo determinado. Apesar de suas limitações, pode ser particularmente útil, como indicador auxiliar nos processos de análise de projetos.

Gestão Empresarial | Projetos de Longo Prazo
Análise de prazos para a recuperação do capital investido
Contabilidade | Prestação de Contas Eleitorais
Com a assinatura de um contabilista, mais transparência e ética
Prática Trabalhista | Contrato de Aprendizagem
Programa de formação profissional e inclusão de jovens no mercado
Imposto de Renda | Contrato de Mútuo
Empréstimo entre pessoas jurídicas ou entre jurídica e física
Direito Empresarial | Associações
Atividades sociais, de representação ou de defesa de interesses comuns

Outras edições

2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010
2009
2008
2007
2006

Deixe seu email para receber nossa newsletter