Organização Contábil Carlos Muller

Boletim do Empresário
fevereiro 2008

Faz e acontece | Empreendedorismo

Nem tudo é Carnaval!

Busca pelo equilíbrio empresarial e pessoal deve ser levada em conta ao planejar ações da empresa também aos feriados

O administrador de uma loja de materiais de construção, Carlos Eduardo Monteiro, trabalha diariamente das 6h às 18h durante a semana e também todas as manhãs de sábados e domingos. No ano passado, dos 12 feriados nacionais (sem contar os municipais), a família Monteiro não abriu a empresa em apenas quatro deles. “É uma tradição de meu pai, desde 1973, abrir aos feriados. O movimento é 50% superior aos dias convencionais”, explica Monteiro. E você, concorda com este modelo empresarial?

Sabe-se que há perfis de profissionais, sejam empresários ou colaboradores, que estão sempre com um calendário nas mãos. Eles contam antecipadamente todos os feriados e planejam, desde então, as possíveis “emendas”. Estas pessoas são consideradas apressadas por muitos, mas enxergam oportunidades de aprimorar os negócios durante as datas comemorativas. Para isso, é imprescindível a organização do calendário, antes mesmo do ano novo chegar. Mas como planejar o merecido descanso, sem perder a produtividade da empresa?

No caso da família Monteiro, o patriarca criou um valor ao seu negócio: os clientes sabem que a loja estará aberta aos feriados. “Com isso, mantemos a clientela fiel, que sabe do nosso horário, e ganhamos, pelo menos, um dia e meio de produtividade em comparação às demais datas do ano. No final, ganhamos quase 15 dias de trabalho”, garante. As únicas exceções consideradas são Natal, Ano Novo, Páscoa e Sexta-Feira Santa. Para Monteiro, o excesso de feriados pode prejudicar o andamento de uma empresa, mas depende, principalmente, do segmento de cada negócio.

Alternativas

Para o professor de ciências econômicas Francisco Constantino Crocomo, o excesso de feriados pode influenciar negativamente os negócios, seja na proximidade do final de semana ou mesmo entre eles. “A reclamação de parte dos empresários ocorre porque há falta de participação nas definições do calendário”, afirma. Ele acredita que, neste aspecto, as associações de classe devem reivindicar a participação na construção do calendário, em âmbito nacional.

Crocomo afirma ainda que há necessidade de criar um planejamento real das atividades, incluindo a reformulação do calendário. “Muitos empresários, e a própria população, tomam conhecimento do calendário pouco antes do início do ano”, ressalta. Assim, cabe ao gestor da empresa saber planejar, além de fazer estimativas de acontecimentos e obter condições para a realização de determinadas ações, como as chamadas estratégias. O economista John Galbraith já dizia que “planejar é substituir o mercado, ou seja, construir o seu espaço”.

Dessa forma, não há como escapar, ou tão pouco ignorar, o Carnaval e tantas outras festas populares no país. O Carnaval deve ser trabalhado nas empresas dentro de uma equação que não limite a produção empresarial e nem transforme colaboradores em meros expectadores da vida. O importante, para Crocomo, é observar a data com outros olhos. “Não podemos esquecer que o Carnaval, em algumas regiões do Brasil, é uma importante fonte de receita e de recolocação de renda interna”, afirma. Outras datas também possuem a mesma peculiaridade em diversas regiões brasileiras.

Carpe diem

Um dos problemas de Monteiro, e de muitos outros empresários, é não conseguir equilibrar trabalho com lazer. A expressão do latim carpe diem, que significa “aproveite o momento”, não aparece no cotidiano deste perfil de profissional. Muito menos no Carnaval, período em que a população brasileira aproveita para extravasar emoções e alegrias. Monteiro confessa, ainda assim, que a rotina é estressante e sacrificante.

A mesma obstinação para trabalhar de Monteiro, poderia ser utilizada por ele para viver e curtir um feriado com a família, os amigos ou até mesmo sozinho. Assim, se seu ramo empresarial possui abertura para otimizar sua empresa e fazer dinheiro durante os quatro dias de Carnaval, aproveite! Caso contrário: apenas carpe diem! Se ainda não tiver feito, aproveite agora para fazer o planejamento das atividades da sua empresa ao longo de 2008. E bom Carnaval!

Faz e acontece | Empreendedorismo
Nem tudo é Carnaval!
Passo a Passo | Gestão Contábil
Outros passos básicos para a gestão de estoques
Inteligência Fiscal | Tributária
DIRF - Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte
Comportamento | Gestão de Pessoas
Orçamento doméstico: solução para melhor qualidade de vida
Aprender para Crescer | Gestão de Empresas
Monitore o ambiente externo
Super Simples
Documento de Arrecadação do Simples Nacional

Outras edições

2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010
2009
2008
2007
2006

Deixe seu email para receber nossa newsletter