Organização Contábil Carlos Muller

Boletim do Empresário
janeiro 2015

Contabilidade Gerencial | Indicadores econômico-financeiros

Essenciais à avaliação do desempenho da atividade empresarial

 As demonstrações financeiras das empresas como o Balanço Patrimonial, a Demonstração do Resultado do Exercício, a Demonstração dos Fluxos de Caixa e a Demonstração do Valor Adicionado contém informações relevantes para os seus gestores e para os usuários que mantêm com ela uma relação de negócios. A utilização de indicadores derivados das informações dessas demonstrações é de suma importância para a administração de uma empresa de qualquer porte ou natureza.

Indicadores contábeis de maior relevância

Diversos índices podem ser calculados a partir das demonstrações financeiras. Cada um serve a uma finalidade específica. A sua importância será sempre relativa, dependendo da finalidade que se tem em vista.

Na impossibilidade de comentar todos, selecionamos indicadores que focam aspectos mais gerais e essenciais à avaliação do desempenho da atividade empresarial. São eles: o Retorno sobre as Receitas; Retorno sobre o Investimento; Grau de Endividamento; e, Índices de Liquidez.

Os dois primeiros dão conta da rentabilidade da empresa, enquanto que os dois últimos auxiliam a gerência na identificação de situações de ameaça à sua sobrevivência por excesso de endividamento ou por falta de liquidez.

Retorno sobre as receitas

Mostra o êxito (lucro) alcançado por uma empresa na obtenção de um preço de venda de seus produtos acima dos custos e despesas totais de produção, comercialização e administração. Representa a margem operacional líquida da empresa. Como tal, indica a força ou debilidade da sua posição no mercado.

• RR = Lucro Líquido / Receita Operacional

Comparando este índice com o da concorrência ou com resultados anteriormente obtidos pela própria empresa teremos um indicador significativo do seu desempenho, lembrando que a lucratividade também é um dos pilares que sustentam todas as empresas.

Retorno dos investimentos

É o poder de ganho da empresa. Mostra o quanto a empresa está obtendo de retorno em relação aos seus investimentos totais. Por meio dele pode-se também determinar o payback, ou seja, em quanto tempo se recuperam os investimentos totais efetuados no negócio.

Em se tratando de retorno sobre investimentos, dois objetivos podem ser esperados: o retorno geral da empresa e o retorno atribuível aos seus proprietários.

No primeiro, o retorno é obtido pela divisão do Lucro Líquido pelo total do Ativo:

• RI = Lucro Líquido / Ativo Total

No segundo caso, o mesmo Lucro Líquido é dividido pelo Patrimônio Líquido, indicando a rentabilidade do investimento feito sobre o capital próprio:

• RPL = Lucro Líquido / Patrimônio Líquido

Estamos diante de um índice de extrema importância. No aspecto gerencial, o índice comparado com a concorrência ou com a história da própria empresa é um indicador confiável da qualidade da sua administração. Já no aspecto dos recursos pessoais, indica aos investidores qual o nível da remuneração oferecida pela empresa aos seus recursos, permitindo-lhes, em casos extremos, decidir quanto à conveniência de destinar futuros recursos à alternativas mais rentáveis.

Grau de endividamento da empresa

Tem por objetivo descobrir a proporção dos Ativos financiados com recursos de terceiros, representando, portanto, o grau de endividamento desses ativos:

• GEE = (Passivo Circulante + Passivo Não Circulante) / Ativo Total

Também é conhecido como índice de débito, mede a porcentagem dos recursos totais provenientes de credores, incluindo todas as obrigações, inclusive as de longo prazo. Os credores preferem índices de endividamento moderados, quanto menor o índice, maior será a sua margem de segurança, em caso de liquidação. Já os proprietários buscam maior fonte de recursos para alavancar os seus ganhos.

Obviamente, quanto menor for essa proporção, mais tranquila será a situação da empresa e maior a facilidade da obtenção de eventuais empréstimos. O ideal para a análise desse índice é efetuar uma comparação desses resultados com os de empresas do mesmo ramo de atividade ou de períodos anteriores da própria empresa.

Índices de liquidez

Avaliam a capacidade da empresa para honrar os seus compromissos com terceiros de curto prazo (até 360 dias) e é provavelmente o mais usado. Os índices de liquidez são de especial interesse para bancos, fornecedores e credores no curto prazo da empresa.

Entre os tipos de índices de liquidez, os mais importantes são: Liquidez Corrente que considera, no seu cálculo, o valor total do Ativo Circulante incluindo os Estoques; e, Liquidez Seca que exclui do seu numerador o valor dos Estoques, cuja certeza de conversão em dinheiro em prazo curto pode ser discutível. Assim, os índices, são:

• ILC = Ativo Circulante / Passivo Circulante

• ILS = (Ativo Circulante - Estoques) / Passivo Circulante

Quanto maior o resultado desses índices, melhor para a empresa. Por exemplo, um quociente de 1,40, significa que a soma do Ativo Circulante excede de 40% ao valor de seus compromissos representados no Passivo Circulante. Para cada R$ 1,00 de dívida de curto prazo, a empresa dispõe de R$ 1,40 de recursos disponíveis. Por outro lado, um índice também muito elevado não é satisfatório, pois incluirão nesse Ativo, recursos que poderiam ser bem melhor aplicados.

Contabilidade Gerencial | Indicadores econômico-financeiros
Essenciais à avaliação do desempenho da atividade empresarial
Tributos Federais | Escrituração Contábil Fiscal (ECF)
Escrituração e apuração do IRPJ e CSL
Prática Trabalhista | Contribuição Sindical Patronal
Empregadores organizados em empresas
Prática Fiscal | Canhoto Destacável
Como parte integrante da Nota Fiscal
Simples Nacional | Da opção
Procedimentos para opção pelo Simples Nacional e agendamento

Outras edições

2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010
2009
2008
2007
2006

Deixe seu email para receber nossa newsletter